Quem sairá ganhando ou perdendo na categoria de Residência para Migrantes Qualificados com nova estrutura?

3

O Governo anunciou no mês passado o reajuste da Categoria de Migrante Qualificado (SMC) a partir de 9 de outubro, reduzindo a marca de pontuação de 180 para 6 pontos.

Atualmente, os candidatos podem reivindicar pontos ou pontos de bônus para até 12 fatores de “empregabilidade e capacitação”. A partir de 9 de outubro, eles só podem reivindicar pontos para uma das três combinações:

  1. Alta renda de emprego + experiência de trabalho qualificado na Nova Zelândia; ou
  2. Qualificação de alto nível + experiência profissional qualificada na Nova Zelândia; ou
  3. Registro/licenciamento ocupacional + experiência profissional qualificada na Nova Zelândia.

Em alguns casos, pessoas com renda excepcionalmente alta (NZ$88.98/hora), que têm doutorado ou que levaram seis anos para obter sua licença/registro completo não precisarão reivindicar pontos por experiência de trabalho qualificado na Nova Zelândia para serem aprovados como residentes.

Então, quem são aqueles que sairão ganhando ou perdendo no novo SMC?

Ganhando (terão vantagens): A partir de outubro, apenas pessoas com empregos bem remunerados podem obter residência aprovada na categoria de migrante qualificado. Trabalhadores pouco qualificados devem receber NZ$44.49/hora (1,5 x salário médio) ou mais, enquanto trabalhadores de qualificação média e alta devem receber NZ$29.66/hora (salário médio atual) ou mais.

De acordo com o novo SMC, nenhum ponto será concedido para empregos qualificados – será um requisito essencial para o candidato principal ter um emprego qualificado ou uma oferta de emprego de um empregador credenciado pela Immigration New Zealand.

A imigração da Nova Zelândia ainda usará o banco de dados ANZSCO para determinar o nível de habilidade de um trabalho, com funções de nível 4 e 5 (com menos habilidades) que exigem uma taxa de pagamento mais alta.

Perdendo (não terão vantagens): pessoas que vivem no exterior. Atualmente, pessoas fora do país que obtiverem 180 pontos podem apresentar manifestação de interesse e serem convidadas a se inscrever no SMC, até dia 15 de agosto de 2023. A partir de 9 de outubro de 2023, isso não será mais possível, a menos que tenha uma oferta de emprego qualificado na Nova Zelândia de um empregador credenciado pela INZ.

Ganhando (terão vantagens): Pessoas com experiência de trabalho bem remunerada na Nova Zelândia
A partir de outubro, apenas pessoas com experiência de trabalho remunerada pelo menos o salário mediano (no momento NZ$29.66 por hora) na Nova Zelândia, adquirida nos últimos cinco anos, podem reivindicar pontos para esse fator. Atualmente, a experiência de trabalho qualificado de qualquer país, adquirida a qualquer momento, pode marcar pontos no SMC, e não há limite mínimo de pagamento.

Perdendo (não terão vantagens): Pessoas com experiência de trabalho fora da NZ
De acordo com as regras da Skilled Migrant Category – SMC existente, pessoas com experiência de trabalho qualificada fora da NZ podem reivindicar até 50 pontos (dos 180 pontos necessários para obter residência aprovada), mas não receberão pontos por esta experiência de trabalho a partir de outubro, dentro do novo sistema.

Ganhando (terão vantagens): Pessoas com registo ou licença profissional
Até agora, não era possível reivindicar pontos para registro ou licenciamento ocupacional. A partir de outubro, os candidatos podem reivindicar entre três e seis pontos para sua licença ou registro se trabalharem em uma ocupação que o exija.

Perdendo (não terão vantagens): Pessoas com diplomas e certificados
Alguém com um diploma ou certificado pode marcar 40 pontos por sua qualificação no SMC atual. A partir de outubro, eles marcarão zero pontos. Somente diplomas de bacharel reconhecidos ou qualificações superiores marcarão de três a seis pontos.

Perdendo (não terão vantagens): Pessoas com parceiros qualificados
Atualmente, o candidato principal pode reivindicar até 40 pontos de bônus pela qualificação e emprego de seu parceiro na Nova Zelândia. Sob o novo SMC – zero pontos por ter um parceiro qualificado (embora eles ainda possam incluir seu parceiro em sua solicitação de residência).

O que há para gostar no novo sistema de residência, apelidado de SMC6?

Parece ser mais simples e fácil de entender, com menos fatores para reivindicar pontos.

Isso deve ajudar os funcionários da imigração, que às vezes ficam confusos decidindo se devem conceder pontos por fatores como emprego qualificado e experiência de trabalho qualificado no exterior.

Com menos fatores a serem considerados, a Imigração da Nova Zelândia espera reduzir o tempo de processamento de cinco meses para oito semanas (e antes poderia demorar até dois anos).

Outro fator interessante no novo sitema SMC é que ele recompensa as pessoas cuja experiência de trabalho e empregos qualificados estão na Nova Zelândia, ou seja, as pessoas que contribuíram para o mercado de trabalho da Nova Zelândia, e que ainda estão contribuindo, vão potencialmente ter maiores chances de poder ficar. A maioria deles, pelo menos.

Pessoas cujos empregos não são bem pagos, que não exigem registro ou licenciamento ocupacional e que não possuem diploma de bacharel ficarão de fora.

Clientes com diplomas, são aconselhados a considerar a atualização de suas qualificações enquanto trabalham em período integral – dessa forma, eles poderão reivindicar pontos por sua qualificação, bem como por sua experiência de trabalho qualificado na Nova Zelândia.

Ou, se as pessoas obtiverem 180 pontos no SMC existente, devem apresentar manifestações de interesse rapidamente – a data-limite é 15 de agosto de 2023.

Compartilhe este post com seus amigos

Veja mais postagens que você pode gostar

Regiões da Nova Zelândia
Informações

Conheça as Regiões da Nova Zelândia

Quando você pensa em Nova Zelândia, quais cidades/regiões vêm mais rapidamente à sua mente? Normalmente as pessoas conhecem Auckland, Christchurch, Queenstown,  Wellington. O que mais

Ler mais »

Se inscreva na nossa newsletter

Não perca nenhuma novidade. Receba tudo no seu email.
Fique tranquilo, não mandamos spams.