Fronteiras da Nova Zelândia: Entenda qual a importância

Por que as fronteiras da Nova Zelândia são importantes

As fronteiras da Nova Zelândia não estão limitadas apenas ao oceano que está em volta de todo o país.

Embora haja esse isolamento natural, muitos fatores foram responsáveis pela fundação do mapa do reino neozelandês. 

Desde que a pandemia do novo coronavírus surgiu na China e a Nova Zelândia precisou fechá-la para quem viajou ao país asiático, o tema começou a ser recorrente.

E sabemos que o fechamento dessas fronteiras foi essencial para a diminuição do impacto da pandemia na Nova Zelândia.

Portanto é muito importante que saibamos sua importância. Veja, abaixo, como são delimitadas as fronteiras e suas influências num país.

Afinal, o que é a fronteira?

Há três coisas importantes a se perceber sobre as fronteiras – os humanos as criam, elas não ocorrem apenas no limite externo de um estado e nem todas as fronteiras envolvem o governo.

Aotearoa Nova Zelândia, como o país é conhecido hoje – o primeiro nome é a forma mais amplamente aceita e conhecida em língua maori para chamar o país -, é formado pelas ilhas norte, sul, Niue, Ilhas Cook, Tokelau e a Dependência de Ross na Antártica.

Assim como outras nações do mundo, a Nova Zelândia também sofreu influências culturais e econômicas na delimitação de suas terras.

Isso aconteceu principalmente após a assinatura do Tratado de Waitangi. E essas fronteiras até hoje influenciam na identidade do povo neozelandês.

Sendo assim, a fronteira acaba fazendo a manutenção dessa identidade no país, pois, a partir do momento em que você coloca regras na entrada e saída, você pode manter a ordem das coisas. 

Assim, “eles”, que seriam estrangeiros que planejam passar um tempo ou viver suas vidas na Nova Zelândia, acabam se tornando “nós”.

Não existe somente uma fronteira

Um exemplo de que não existe apenas uma fronteira na Nova Zelândia é como as maiores unidades sociais da cultura maori estão sendo vistas durante a pandemia do novo coronavírus. 

As iwi, como são chamadas essas unidades, são consideradas de risco para a Covid-19. 

Por esse motivo, a preocupação com esses povos foi muito crucial na forma como a fronteira do país está sendo delimitada diante da pandemia.

Esse é um exemplo de como a fronteira não está só ligada à entrada e saída do país, mas também em como organizá-las dentro dele. 

Vê-los como parte da paisagem fronteiriça da Nova Zelândia torna evidentes questões como direitos humanos, segurança, autoridade legal e igualdade. 

Isso acende um alerta para a necessidade de uma discussão mais ampla sobre as fronteiras da Nova Zelândia.

Veja mais:

Conheça a história do feriado Waitangi Day

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Veja mais postagens que você pode gostar

Se inscreva na nossa newsletter

Não perca nenhuma novidade. Receba tudo no seu email.
Fique tranquilo, não mandamos spams.