NZ Visto

NZeTA – Electronic Travel Authority

NZeta - nzvisto

A Nova Zelândia introduz requisitos mais estritos para viajantes.

Passageiros viajando para a Nova Zelândia de um país que possui acordo de isenção de visto de visitante (conhecidos como visa waiver) que no momento não precisam solicitar um visto antes de chegar no país, terão que solicitar uma pré-autorização eletrônica de viagem e pagar uma taxa de turismo antes mesmo de embarcar para a Nova Zelândia.

A partir de 1 de Outubro desse ano (2019) viajantes com destino à Nova Zelândia de 60 países inclusos no acordo visa-waiver (incluindo o Brasil) terão que ter um NZeTA – Electronic Travel Authority (Autorização Eletrônica de Viagem) antes de iniciar sua jornada.

Tal procedimento foi introduzido para melhorar a segurança e reduzir riscos imigracionais, o NZeTA terá um custo mínimo e será válido por 2 anos. Está sendo introduzido ao mesmo tempo o IVL – International Visitor Conservation and Tourism Levy, que é uma taxa de turismo e conversação para visitantes internacionais, que custará NZ$35 – dólares neo-zelandês e permanecerá válido pelo tempo de duração do NZeTA, ou seja, dois anos.

Cidadãos da Nova Zelândia e da Austrália, e pessoas que possuem um visto neo-zelandês válido serão isentos do NZeTA. Porém residentes permanentes da Austrália terão que solicitar um NZeTA antes de visitar a Nova Zelândia, porém não terão que pagar a taxa de turismo.

Mesmo passageiros em trânsito pela Nova Zelândia deverão ter um NZeTA válido.

As solicitações poderão ser feitas através de aplicativo por celular com custo de NZ$9 ou online por NZ$12 – dólares neo-zelandês.

De acordo com o portal oficial do governo da Nova Zelândia, o NZeTA irá melhorar a segurança, reduzir riscos imigratórios e lidar com contrabando e riscos de bio-segurança.

Dará também às autoridades a oportunidade de verificar os riscos de um passageiro/visitante indo para a Nova Zelândia, antes mesmo de embarcar em um voo.

Tal procedimento já estava sendo discutido no governo desde o ano passado, e foi confirmado no início de março.

Veja a página oficial do governo sobre esse novo procedimento.

Compartilhe este post com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja mais postagens que você pode gostar

Se inscreva na nossa newsletter

Não perca nenhuma novidade. Receba tudo no seu email.
Fique tranquilo, não mandamos spams.