Mudanças de visto abrangentes permitem que os migrantes que já estão dentro da Nova Zelândia ajudem a preencher a escassez de mão de obra

mudanças visto imigrante
  • Extensão de seis meses para titulares de visto de trabalho assistido pelo empregador – como Essential Skills, Accredited Employer, LTSSL
  • Período de suspensão adiado para portadores de vistos de habilidades essenciais – Essential Skills – de baixa remuneração (que ganha abaixo de NZ$25.50 por hora)
  • Reter o salário médio de NZ$25.50 por hora para configurações de imigração até pelo menos julho de 2021
  • Visto de trabalho e férias – Work Holiday Visa prorrogado por 6 meses
  • Muitos trabalhadores migrantes atualmente na Nova Zelândia poderão ficar e trabalhar aqui por mais tempo, após ajustes nas configurações de visto anunciados pelo ministro da Imigração, Kris Faafoi.
Economia

“Nossa economia está se recuperando melhor do que o esperado e estamos vendo escassez de mão de obra em muitos setores”, disse o ministro.

“Com a perspectiva do mercado de trabalho sendo mais otimista, estamos implementando uma série de mudanças para garantir que a força de trabalho migrante que já está na Nova Zelândia possa complementar os esforços dos empregadores para recrutar neozelandeses que perderam empregos devido ao COVID”, completou.

“As mudanças na configuração do visto ocorrerão em 2021, proporcionando segurança para empregadores e trabalhadores.

“Continuaremos a observar de perto como o mercado de trabalho se desenvolve e se mais extensões são necessárias”, disse Kris Faafoi.

“Existem cerca de 192.000 trabalhadores migrantes na Nova Zelândia. Esse é um número semelhante ao de um ano atrás, mas sem as mudanças que estamos fazendo os números cairiam à medida que os vistos expirassem e as restrições de fronteira significassem que um número limitado de novos trabalhadores podem vir para a Nova Zelândia.

“Com as restrições de fronteira em vigor para manter o COVID-19 fora, não podemos trazer para a Nova Zelândia o número de trabalhadores migrantes dos quais muitas indústrias passaram a depender, especialmente em seus períodos de pico.

“Nossa prioridade continua sendo ajudar a conseguir empregos para os neozelandeses e encorajamos os empregadores a continuar a se concentrar no planejamento da força de trabalho de longo prazo, no treinamento e na melhoria dos salários e das condições para atrair uma força de trabalho local.

“Embora essas mudanças permitam que os empregadores mantenham sua força de trabalho migrante existente, eles ainda precisarão provar que nenhum neozelandês está disponível antes de contratar novos funcionários”, disse o ministro Faafoi.

As mudanças são:
  • Os titulares de visto de trabalho assistido pelo empregador (e seus parceiros e filhos dependentes) que tenham emprego e cujos vistos expirem de 1 de janeiro de 2021 até 30 de junho de 2021 terão seus vistos automaticamente prorrogados por mais seis meses.
  • O período de suspensão, durante o qual os titulares de vistos de habilidades essenciais de baixa remuneração devem deixar a Nova Zelândia, será adiado até janeiro de 2022. O período de suspensão significa que os titulares de vistos de habilidades essenciais que ganham menos do que o salário médio (atualmente NZ$25.50) devem deixar a Nova Zelândia por 12 meses após ter trabalhado aqui por três anos antes de poderem retornar.
  • A Imigração da Nova Zelândia continuará a usar o salário médio de 2019 de NZ$25.50 por hora para configurações de imigração até pelo menos julho de 2021, quando o salário médio aumentará para $ 27 por hora.
  • Os vistos de férias e trabalho -Work Holiday Visa serão estendidos por seis meses, e as restrições serão relaxadas sobre a duração máxima de trabalho permitida, permitindo que os titulares de vistos de férias de trabalho continuem trabalhando em qualquer setor que escolherem (incluindo horticultura e funções no setor de vinho). Os trabalhadores em férias não serão mais transferidos para um visto de trabalho de empregador sazonal suplementar quando seu visto de trabalho nas férias expirar. Os migrantes com um visto SSE poderão continuar a trabalhar para os setores de horticultura e vinho, ou solicitar um visto de Habilidades Essenciais – Essential Skills Work Visa se encontrarem um trabalho qualificado alternativo.
A Imigração da Nova Zelândia entrará em contato com todos os portadores de visto qualificados.
Número de titulares de visto atualmente na Nova Zelândia (em dezembro de 2020)
  • 189.000 migrantes temporários com direito de trabalhar
  • 83.000 com vistos de trabalho assistidos pelo empregador (a maioria será prorrogada)
  • 58.000 em outros vistos de trabalho, incluindo trabalho pós-estudo (não afetado) e vistos de trabalho de férias – Work Holiday Visa (a ser prorrogado)
  • 43.000 parceiros de neozelandeses, trabalhadores e estudantes (alguns serão estendidos)
  • 5.000 trabalhadores sob o regime de empregador sazonal reconhecido – RSE (não afetado)
  • 42.000 estudantes (alguns com direito de trabalho, não afetados)
  • 31.000 visitantes (não afetado)
Maneiras de os empregadores manterem seus trabalhadores migrantes

Já existem maneiras de empregadores individuais reterem sua força de trabalho que já está dentro da Nova Zelândia.

Conforme o fim da extensão desses trabalhadores chegarem ao fim, terão que mostrar que não há mão de obra disponível no país.

Trabalhadores com vistos assistidos pelo empregador podem renovar, e outros migrantes podem obter vistos de Competências Essenciais – Essential Skills, se eles tiverem uma oferta de trabalho por no mínimo 30 horas por semana e puder ser demonstrado que não há neozelandeses disponíveis para fazer o trabalho.

Os empregadores de trabalhadores migrantes com baixos salários que estão sujeitos ao período de suspensão, podem evitar o período de suspensão pagando acima do salário mediano.

O Ministério de Desenvolvimento Social tornou mais fácil para os empregadores verem se os neozelandeses estão disponíveis para empregos, criando listas de ocupações e regiões onde há um claro excesso ou falta de oferta de neozelandeses no apoio à procura de emprego.

Quando as ocupações estão em uma lista de oferta insuficiente, o empregador não precisará obter um Relatório de Competências para atender ao teste do mercado de trabalho.

Aproveite e clique aqui para se inscrever no nosso canal no YouTube para ficar por dentro das novidades sobre Nova Zelândia.

Temos outros conteúdos e lives semanais para esclarecer suas dúvidas, nos siga lá no @nzvisto e fique ligado.

Fonte da informação oficial: https://www.beehive.govt.nz/release/comprehensive-visa-changes-allow-onshore-migrants-help-fill-labour-shortages

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Veja mais postagens que você pode gostar

Se inscreva na nossa newsletter

Não perca nenhuma novidade. Receba tudo no seu email.
Fique tranquilo, não mandamos spams.